Eritropoetina

Eritropoetina

Como comprar?

Envie um email para   renalvet@hotmail.com   com seu nome , telefones, melhor horário para ligar e entraremos em contato.

Coloque no email, em ASSUNTO: compra de eritropetina

Enviaremos via sedex em embalagem refrigerada.

 

A Eritropoetina ou EPO é um Hormônio Glicoprotéico produzido naturalmente nos seres humanos e nos animais pelos rins e fígado, a função da Eritropoetina é principalmente de regular a eritropoiese, nome que se dá a produção de células vermelhas do sangue, hemácias.
Quanto as denominações irão variar de acordo com a obtenção da droga, sendo os mais conhecidos: Eritropoetina, Eritropoietina, Alfaepoetina, Deltaepoetina, Eritropoetina Humana Recombinante, Epo, Rhu Epo.
Por exemplo, graças a tecnologia de recombinação genética passou a constituir-se como solução praticável e ótima fonte para a obtenção de Eritropoetina, a partir de células de mamíferos, em que se insere o gene responsável pela síntese da Eritropoetina humana. A epoetina produzida por essa técnica de recombinação gênica é a alfaepoetina, indistinguível da Eritropoetina natural endógena, dosada na urina, no que se refere à atividade biológica.

A EPO ou Eritropoetina é muito utilizada para o tratamento das diversas formas de anemias, preparos cirúrgicos em que há grandes perdas sanguíneas, reposição dos níveis hematológicos no pós cirúrgico, tratamento de doenças crônicas, como a hepatite, tratamentos oncológicos, insuficiência renalcrônica, doenças hematológicas, cânceres, tumores sólidos, linfomas,mieloma múltiplo, programas de transfusão autóloga (transfusão efetuada com sangue do próprio indivíduo, coletado e conservado em data anterior), cirurgia ortopédica programada.
Quanto a administração da Eritropoetina pode variar de acordo com a necessidade e estado clínico do paciente. Há dosagens subcutêna e intravenosa. A Eritropoetina subcutânea por ser espessa e gelada é bastante dolorida quando aplicada. Mas para diminuir a sensação de dor, basta aplicar em áreas mais gordurosas.

A eritropoetina é secretada essencialemente pelo córtex renal (aproximadamente 90% da produção). Foi demonstrado que nas grávidas, o cérebro e o útero produzem a eritropoetina igualmente. A produção de eritropoetina é estimulada pela baixa de oxigênio nas artérias renais.

Ação da Eritropoetina

A baixa da pressão parcial em oxigênio (pessoas que vivem nas altitudes), a diminuição do número de glóbulos vermelhos (ou hemácias) causada por uma hemorragia ou por uma destruição excessiva, o aumento da necessidade de oxigénio pelos tecidos levam a uma secreção de Eritropoetina. Ao contrário, o excesso de oxigénio nos tecidos diminui a sua secreção. Atua sobre as células eritroblásticas da medula óssea, isto é, as células precursoras dos glóbulos vermelhos por intermediação de receptores específicos. 10% da eritropoietina é secretada pelo fígado e 90% pelos rins.
A eritropoietina estimula a proliferação das células-tronco precursoras de glóbulos vermelhos (ou hemácias), ao nível da medula óssea, aumentando assim a produção destas últimas de uma a duas semanas.

Resumo

          A Eritropoetina é um hormônio com atividade muito significativa para a função orgânica eritróide, responsável pelo estímulo da produção de eritrócitos. Devido a isto, desde 1988, tem sua forma sintética (EPO Humana Recombinante – rHuEPO) disponível no mercado farmacêutico. Inicialmente a rHuEPO foi utilizada na clínica médica como opção de tratamento para desordens como anemias conseqüentes à insuficiência renal ou alternativa para pacientes que necessitam de transfusões sanguíneas com freqüência. Entretanto, esta forma sintética deste hormônio, também vem sendo usada para fins ilegais: doping no âmbito esportivo em atletas competitivos de elite. Eritropoetina traz benefícios em relação à oxigenação, assim como é responsável pelo aumento na potencialidade farmacocinética da hemoglobina, levando a uma competência aeróbica mais eficaz, o que gera um aumento da capacidade desportiva em atletas de ‘endurance’. Contudo, concomitante aos benefícios, alguns atletas podem vir a sofrer por efeitos adversos ocasionados pelo uso indiscriminado da eritropoetina sintética, o que vem se tornando um grave problema no âmbito esportivo. Aliado a isto, tem-se uma detecção laboratorial que ainda apresenta deficiências e necessita de melhoramentos, já que as diversas isoformas de EPO sintética possuem características semelhantes.